HARMONIA . básico



É necessário, para ter um entendimento básico o conhecimento de INTERVALO.

Se as Escalas Maiores seguem um padrão (T.T.sT-T-T.T.sT), logo os intervalos também seguirão o mesmo padrão.

O que difere de um intervalo a outro é a quantidade de semitons.

Olhando o teclado abaixo, irá perceber que entre as teclas Dó e Ré, tem uma tecla sendo pulada. Temos então 1 tom, porque entre Dó e a próxima tecla – Dó# – tem 1/2 Tom, ou 1 Semitom.
Dizemos que é um intervalo de 2ª Maior, por conter 1 Tom.

Entre as teclas Dó e Mi, temos três teclas separando. (Dó.Dó#=semitom – Dó#.Ré=semitom {1 T} Ré.Ré#=semitom – Ré#.Mi=semitom {1T}: Total 2 Tons.
Chamamos o intervalo de 3ª Maior.

TCL


Veja a tabela abaixo. Os intervalos analisados estarão nesse molde em qualquer tonalidade maior.

INTERVALOSTABELA



Qualquer alteração que houver, temos que avisar, cifrar.

Se em algum intervalo M (maior) aparecer um acidente que faça com que o som desça  semitom, ele passará a ser MENOR, mas se o intervalo for J (justo) ele se chamará DIMINUTO.

Na regra inversa, subir semitom, todos levarão o nome de AUMENTADO.


 


Lembra-se das Tríades?

Elas serão de muita valia neste momento, pois se você sabe tocá-las, você saberá achar a diferença entre Tríade Maior e Tríade Menor.

O que caracteriza uma tonalidade é o intervalo de 3ª. Se maior ‘M‘ e se menor ‘m‘.

Se tocar a tríade de Dó Maior, a 3ª é Mi natural. Mas se coloco um bemol (abaixo o som em 1 semitom), a 3ª ficará Menor, ou seja Dó menor.

Segue abaixo as regras de cifragem.

intervalos-cifragem


Campo Harmônico Maior

Analisando o campo harmônico do tom de Dó Maior, a estrutura acórdica servirá para todas as tonalidades maiores.

Por esse motivo a nomenclatura será “Grau” e usando algarismos romanos, indicando que esses graus pertencem ao Tom Maior.



VEJA O CAMPO HARMÔNICO MAIOR


campoharmonico


IGUALDADE ENTRE OS GRAUS

  1. Observe que na base – as TRÍADES – temos 3 Maiores | 3 Menores | 1 com a 5ª Diminuta.
  2. Observe que a tríade Maior é composta de duas 3ª sobrepostas – a inferior Maior e a superior Menor.
  3. Observe que a tríade Menor é o inverso.

CAMPOHAR-IGUALDADE



A  7ª nota de cada tríade completa a estrutura.

Os graus I e IV são maiores com 7ª maior. | II – III – VI são menores com 7ª menor | V grau com 7ª menor e VII com 5ª diminuta e 7ª menor.

Interessante:

  • I e IV – duas 3ª maiores nas pontas e uma 3ª menor no centro.
  • II . III e VI – invertidas as 3ª.
  • V – 3ªM e duas 3ªm sobrepostas.
  • VII – invertido

 


E na prática?

Toda essa analise faz com que entendemos como o compositor pensou a música e consequentemente fica mais fácil para estudar e fará com que tenhamos mais consciência da sonoridade a fazer.

O acorde chave do sistema é o V grau, um acorde com 7ª menor que causará um TRÍTONO (3 tons) entre a 3ª e a 7ª e sendo notas sensíveis da escala, este atrai a 3ª básica do tom.



TRÍTONO

tritono




 Interpretar conhecendo o caminho harmônico que o compositor traçou tornará sua expressão muito mais rica.